Páginas

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Trocando ideias, informações e livros com Luciana Justiniani Hees

Já esquentando os tamborins para minha participação no 3º Salão da Leitura de Niterói, na próxima 6ª feira 29 de junho, eis que recebo uma mensagem pelo facebook: Andrea, tem uma ilustradora aqui em Teresópolis que mora em Moçambique e está de passagem, visitando a família. Falei de você e ela quer te conhecer. Tão logo recebi o recado, liguei para o celular que me foi informado e combinamos de nos encontrar hoje. Ah, que delícia de encontro aqui em casa - da série "surpresas que chegam não se sabe de onde", que estão ficando cada vez mais frequentes na minha vida: Luciana Justiniani Hees, que faz ilustrações muito belas e sensíveis...trocamos conhecimentos, ideias e, claro! livros. Lá vão A ESCOLA QUE EU QUERO PRA MIM e O MENINO QUE TINHA MEDO DE ERRAR passear na África. E eu, ficarei por aqui, me deliciando com os presentes que Luciana deixou: Quando a escrava Esperança Garcia escreveu uma carta (texto de Sonia Rosa); Erinlé o caçador e outros contos africanos e O papagaio que não gostava de mentiras e outras fábulas africanas (textos de Adilson Martins).

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Alicia Steimberg, escritora e prima

Acabo de receber a notícia: ontem, 16 de junho, morreu Alicia Steimberg. Prima em primeiro grau da minha mãe, escritora reconhecida e premiada na Argentina, escreveu MÚSICOS Y RELOJEROS, seu primeiro livro publicado cujo tema é exatamente...nossa família (ou seja, a da minha mãe). Desde que comecei a escrever literatura, desejo traduzir Alicia para o português. Pretendia visitá-la este ano, em Buenos Aires. Estivemos juntas no aniversário de 90 anos do meu avô, seu tio preferido - apelidado nesse livro como "Clark Gable", orgulho eterno do meu vovô Jack, o que contava histórias, declamava poemas, dançava tango. Foi-se assim, tomando chá com as amigas. Adiós, Alicia. Te dejo un beso grande!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Dia do escritor argentino

Hoje se comemora na Argentina - meu país de origem - o dia do escritor, homenagem ao poeta  Leopoldo Lugones que criou a "Sociedad Argentina de Escritores" em 1928 . Meu tio Hector me escreveu logo cedo, parabenizando-me pela data e ressalvando: embora não seja o dia do escritor no Brasil, etc. Tio Hector, leitor voraz desde sempre, é criatura singular. Todos nós, crianças de outrora que com ele convivemos, sabemos de cor e salteado suas improváveis, quase inverossímeis histórias hilariantes - coisas que, definitivamente, só acontecem com ele. Dentro desta família de leitores vorazes e histórias improváveis e hilariantes é que busco a inspiração para muitas histórias e muitas risadas literárias.
Tio Hector em foto manipulada digitalmente

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Cadê a Química? Aqui está!







Cadê a química? Ora, bem aí, na nossa cara, todos os dias! Essa dupla impagável -Jujuba Cantador e Ana Nogueira juntou minha família e meus 2 mundos - a química e as histórias infantis - num espetáculo engraçadíssimo e de muita qualidade técnica chamado CADÊ A QUÍMICA? uma visita teatralizada na Casa da Ciência da UFRJ com canções que ensinam a química do dia a dia com frases como esta: "me diz vovó, o que é H2 O; são duas moléculas de hidrogênio e de oxigênio meu netinho, é uma só". Ciência lúdica, educação através da arte, da literatura: eu acredito, eu apoio!Seria tão bom se as aulas de matemática e química pudessem acontecer na cozinha... para a maioria das pessoas é o melhor lugar da casa. Ciência, arte, brincadeiras, prazeres compartilhados - por que não? Até quando continuaremos a compartimentalizar os assuntos da vida e do conhecimento?

sábado, 9 de junho de 2012

Secretaria Municipal de Educação-Duque de Caxias

Semana tão repleta de boas emoções...Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias, dividindo mesa com as talentosíssimas Sandra Ronca (escritora e ilustradora) e Luciana Grether Carvalho (ilustradora), convidadas por Hellenice Ferreira, queridíssima e igualmente talentosíssima escritora, coordenadora da equipe de leitura de Duque de Caxias (RJ). O evento propunha que nós que contamos histórias, contássemos nossa história de vida e como entramos na literatura infantil para os dinamizadores de salas de leituras da SME-DC. É interessante esse exercício de parar para contar nossa própria história: somos obrigados a nos ouvir, somos obrigados a consultar os alfarrábios das emoções, os passos passados, o caminho percorrido. E ver o olhar atento daquele que te ouve...exercício sensorial, afetivo...



 


sexta-feira, 1 de junho de 2012

Entrevista no Diário TV de Teresópolis

Carol do Super Mais (Diário TV canal 4 RCA Teresópolis) me entrevistou nos dias do 14º Salão FNLIJ e ontem o programa foi disonibilizado no youtube. O link, para quem quiser assisitir:
https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=GxM0V0hHLbc

O programa é ótimo; a Carol um doce, animadíssima e excelente entrevistadora. É muito bom ter a oportunidade de falar sobre literatura infantil na TV. Sempre que posso, defendo meu argumento: livros na veia desde o berço! E família que lê unida, permanece unida - mesmo que o tempo e a distância digam não (parafraseando Milton Nascimento). Minha abuela (avó em espanhol) Emília vivia em Buenos Aires e nos deixou há mais de trinta anos, no entanto, até hoje sinto seu amor quando lembro dos poemas que recortava do jornalão LA NACIÓN e me enviava por correio, dentro do envelope que tinha o cheiro do seu creme para as mãos...por que será que amo escrever em versos, por quê?